domingo, 24 de fevereiro de 2013

Eterna melodia

 
Tumblr_m2h76zjeom1rtpz27o1_500_large
Imagem  
 
Gosto de fechar os olhos e voltar atrás, regressar àqueles dias chuvosos e frios de fim-de-semana passados em casa da avó. Relembro o lume acesso que me aquecia as mãos geladas e as tardes passadas a ouvi-la tocar piano. O seu talento fascinava-me, pois até os pingos da chuva transformava em melodia.
A mãe costuma contar que em criança me sentava ao seu colo e que ela sobrepunha a mão à minha, ainda frágil, e juntas formávamos uma perfeita harmonia. E a verdade é que naquele pequeno banco do piano a nossa cumplicidade engrandecia a um ritmo acelerado.
                O som da sua voz e o som do nosso piano continua gravado em mim e é com certeza a mais quente memória da minha infância. E, hoje, os meus dias preferidos continuam a ser os invernosos na sua companhia.
                Fui visitá-la e notei que todos estes invernos lhe foram roubando forças,  contudo continua igualmente calorosa.
Dirigiamo-nos até ao piano enquanto vislumbrava tempos em que demos passos semelhantes.
 Sentadas no banco peguei na mão dela, colocando a minha por cima e agora, anos depois, voltamos a completar-nos. E, no fim, ao olhá-la senti que não há melodia mais imortal do que o amor e que este sempre tornará almas vazias em corações cheios.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...